DIZ: não expulsamos jogadores de Battlefield 1 só por ser dotada


DIZ: não expulsamos jogadores de Battlefield 1 só por ser dotada

O estudo sancionou a 8,500 jogadores em outubro.

Por Rodrigo Vilanova – 06-02-2018 / 23:50Comentar

A EA D. I. C. E.

Com o fim de colocar os jogadores ao corrente sobre o que DIZ está fazendo para reduzir a incidência de armadilha em Battlefield 1, um porta-voz do estúdio publicou ontem uma coluna de informação em Battlefield.com de onde se deduz que a desenvolvedora sueca aprovou mais de 8,500 contas durante o mês de outubro, com o qual conseguiram baixar ainda mais as instâncias de oportunismo.

Dito o anterior, DIZ informou que altera seus hábitos de comunicação relacionados com armadilhas, a fim de que sejam mais claros, transparentes e proativos. Parte desta iniciativa envolve o envio espaçamento de uma mensagem dentro do jogo que comprima todos os bloqueio das últimas 24 horas, em vez de uma mensagem global de cada que se atua contra um jogador que se torna uma distração.

DIZ também esclareceu, em resposta a acusações de veto injustificado ou associado com talento, que os métodos de detecção do sistema anti-cheat FairFight produzem resultados precisos. “Não é possível ser expulso simplesmente por ser talentoso.”, ressaltou o estudo. Dito isso, a empresa não pode responder a todas as perguntas sobre contas em fóruns ou redes, mas compartilhou este endereço para atender às dúvidas específicas.

As armadilhas são um fenômeno comum em jogos competitivos. Outro jogo que batalha constantemente com isso é PUBG, jogo que também foi feito banimentos em massa nos últimos meses e que recentemente atrasou a chegada de seu novo patch anti-cheat.

Battlefield 1 estreou em outubro de 2016 e, desde então, tem recebido 3 pacotes de mapas para download com o quarto, batizado Apocalypse, emprazado para sua estreia em breve.

Mais notícias: Battlefield, Battlefield 1 e DIZ.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *